sábado, 19 de Julho de 2014

Daqui fala a Cornélia

É possível que os meus três leitores tenham desistido de cá vir. Ou então foram a banhos. Com chuva. O camionista que cultiva alfaces na varanda é gajo para isso. Se estiver aí alguém, que me perdoe a minha ausência. Parece que não mas dois putos dão trabalho (não se deixem enganar com aquilo dos 0,3% no IRS). A pecuária leiteira também é exigente. Depois ainda ando a salvar vidas. E a lavar roupa. Entretanto a minha qualidade de vida melhorou substancialmente, a miúda aprendeu a usar o aspirador. Ela gosta, o puto entretém-se e o chão às vezes fica limpo. Quando ela aprender a lavar roupa eu volto cá.


 E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

quarta-feira, 2 de Julho de 2014

O que tens feito Joana?

Quando não estou a limpar narizes/adormecer gente/mudar fraldas/fazer sopa/encontrar brinquedos no bidé/debaixo do sofá/dentro da minha cama/na máquina de lavar/amaldiçoar quem os comprou/limpar nódoas de banana/pisar legos/ameaçar que vai tudo pela janela, aproveito para tomar banho, quando sobra tempo também me alimento. 


 E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

terça-feira, 13 de Maio de 2014

Não acredito no aquecimento global

Quando era pequenina o mal eram as chuvas ácidas. Ainda hoje tenho um trauma com a chuva. Depois foi o buraco na camada de ozono. Tive pesadelos com o raio do buraco. Íamos todos morrer tostados. E como está o buraco hoje? Eu gostava mesmo de saber.
Agora o fim do mundo é o aquecimento global. Vamos todos morrer de calor. Ou de frio. Ou afogados.

Caros ambientalistas, se querem cativar as pessoas não podem começar histórias e deixá-las a meio.




E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

segunda-feira, 12 de Maio de 2014

O embuste da autonomia

Eles começam a andar, nós começamos a correr atrás deles.
Eles começam a falar, nós começamos a passar vergonhas.
Eles começam a comer sozinhos, nós começamos a fazer composto debaixo da mesa da cozinha.
Eles começam a controlar esfíncteres, nós começamos a passear penicos/redutores/cinco mudas de roupa.
Eles começam a vestir-se, nós começamos a chegar atrasados porque Eu! Eu! Eu! Eu sozinho! Eu visto! as calças do avesso. 

Não se deixem enganar, a autonomia é um embuste. 



E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

segunda-feira, 5 de Maio de 2014

'Somos todos primatas' era taxonomicamente mais correcto

Esta campanha de marketing da Chiquita não me convence. 



 E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

terça-feira, 29 de Abril de 2014

Não consigo tirar o amaciador do cabelo há 3 anos


Quando descobri esta senhora que não lava o cabelo há mais de três anos senti imediatamente simpatia por ela. Também eu há mais de três anos que mal consigo lavar o cabelo, que não consigo fazer uma máscara de hidratação ou que não enxaguo o amaciador convenientemente. Achei-a corajosa por declarar isso publicamente, eu geralmente faço um rabo-de-cavalo e tento disfarçar. 

Depois descobri que ela é adepta do movimento no-poo. E o que é o movimento no-poo? São meia dúzia de malucos que acham que o champô é um produto do demónio e então lavam o cabelo uma vez por mês com vinagre, azeite, bicarbonato e outros temperos para saladas. Haja paciência.

E não cheiram mal (dizem eles)


E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Lucy in the Sky with Diamonds

Já conhecia a metamorfose nocturna de alguns canais em televendas ou produções eróticocómicas.
Agora descobri a programação para empastilhados do Babytv. 









Segs.

terça-feira, 18 de Março de 2014

A loiça dos trambolhos

Sempre fui uma pessoa muito preocupada com o bem-estar da loiça. Os pratos dos trambolhos não são excepção. Por isso, quando o trambolho acaba a sua refeição o massacre dos alimentos, coloco a loiça toda na varanda. Depois espero que chova. Para aquela loiça com restos de comida entranhados espero que venham os pombos ou as chuvas ácidas. Depois espero que o sol seque tudo. Este método natural sem tóxicos agressivos, é amigo do ambiente (e dos preguiçosos) e poupam-se uns trocos em água e electricidade. Toda a família agradece e a passarada também. 

Puro plástico 100% natural


E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

terça-feira, 4 de Março de 2014

É Carnaval ninguém leva a mal

Hoje fizeram-nos uma partida de Carnaval muita gira. O governo diz que temos que ir trabalhar porque não é feriado. Não temos transportes públicos porque é feriado. Nem creche para os putos porque também é feriado.



 E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Bitaite do dia #3




E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014

O pior do meu dia

Pessoas da blogosfera, há que admitir, os nossos dias são fenomenais. Entre a alpista que comemos ao pequeno almoço e a nova colecção de piaçabas da Zara Home, é impossível escolher o melhor do nosso dia. Por isso proponho-vos o seguinte exercício, no final do dia, depois deitar os putos pela décima vezescolher o pior do nosso dia. Procrastinamos umas quantas coisas, avivamos umas más memórias e escolhemos a pior. Pode ser aquela cólica renal aguda ou as calças do Cláudio Ramos"O pior do meu dia" é aquela má disposição que fica e nos faz adormecer com azia. 

Quem quiser juntar-se a mim neste exercício pode enviar um pombo-correio.



E agora também no Facebook porque tenho pouco que fazer. Quem sabe talvez um dia num Twitter, num Instagram ou num talho perto de si.

segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

Munelhos de cavelo

O que acontece quando se junta uma mãe com queda de cabelo pós-parto, um bebé em plena descoberta da preensão palmar e uma filha que ataca pessoas para lhes fazer penteados.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...